Tempo de leitura: 2 minutos

São poucas as pessoas que não procuram fazer uma viagem pelo único Parque Nacional do nosso país. E se és uma delas, guarda esta lista de coisas a fazer para acrescentares no teu roteiro

 

Entre o Minho e Trás-os-montes, a cerca de 100 quilómetros do Porto, está o paraíso para os amantes da natureza. Há cinco portas de entrada no Parque Nacional da Peneda-Gerês e por detrás de cada uma delas há tradição, mais de cem aldeias perdidas no tempo, trilhos que atravessam cenários mágicos, vales admiráveis, cascatas, lagoas de água transparente e montanhas até perder de vista.

Para além de magníficas paisagens e monumentos com muitos séculos de história para contar, podes ainda relaxar e respirar o ar puro deste pulmão ibérico. No meio de toda a fauna e flora, escondem-se animais selvagens e domesticados que fazem vida entre cumes e vales. Mas, acima de tudo, a Peneda-Gerês é feita de encantos e segredos que levam muito mais do que roteiros de poucos dias a descobrir.

Por isso, qualquer viagem a este parque é quase obrigatória que seja feita com carro para poder explorar, explorar e, claro, explorar.

 

#1 Miradouro da Pedra Bela

A mais de 800 metros de altitude, vais poder vislumbrar um verdadeiro anfiteatro natural. Um cenário com vista para a albufeira da caniçada que tem como pano de fundo as pontes de Rio Caldo.

 

#2 Cascata da Portela do Homem

Bem colado à fronteira está a Cascata da Portela do Homem ou Cascata de S. Miguel. O acesso não é fácil, mas, aos mais corajosos, as águas limpas e transparentes convidam a um mergulho. Contudo, prepara-te: todos os ossos do teu corpo vão congelar de certeza. Ah e se fores nos meses de maior calor, procura chegar cedo porque o espaço não é muito. O mesmo não se pode dizer das pessoas que querem visitar este espaço.

 

#3 Santuário de Nossa Senhora da Peneda

Inserido harmoniosamente no ambiente rochoso em que mergulha, este santuário é uma surpresa agradável, mesmo para os não religiosos. Fica em Arcos de Valdevez e bem no meio da natureza. Subir a escadaria custa, mas compensa – por mais que não seja por toda a história, arquitetura e, claro, pela paisagem magnífica.

 

#4 Atividades radicais

Por entre montes, vales, montanhas e ribeiras, o que não falta são locais para os amantes de desportos radicais e adrenalina. Desde rapel a cannoying, que é uma espécie de descidas em escorregas naturais, no caso descidas no rio, o que não faltam são espaços que se dedicam a oferecer serviços que permitam fazer essas mesmas atividades com toda a segurança.

 

#5 Festival Aldeia de Lobos

E se estiveres pelo Gerês entre 1 e 3 de julho, passa pelo Festival Aldeia de Lobos. É em Fafião, Montalegre, que acontece este festival que tem como figura central o lobo-ibérico. Dedicado a este animal tão presente na comunidade local, e para celebrar a relação com a mesma, vai haver muita tradição transmontana pelas ruas. A entrada é livre e podes contar com exposições, galerias de arte, mercados comunitários e, como não poderia deixar de ser, muita música. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.