Tempo de leitura: 2 minutos

Raquel Pereira desloca-se todos os dias para Lisboa, mas vive relativamente longe do centro da cidade. Este é um texto na primeira pessoa sobre o que isso significa.

Sou uma aluna de terceiro ano de licenciatura que estuda em Lisboa, mais concretamente em Benfica. O título deste artigo não é nenhuma mentira, até porque tenho de me deslocar até Lisboa nos dias em que tenho aulas presenciais. Já faço isso há mais de dois anos e creio que vou continuar a fazê-lo enquanto continuar o meu percurso académico. Nunca consegui perceber aquelas pessoas que se queixam das aulas em regime online, mas acredito que não percam metade do tempo que eu perco para chegar à faculdade. A verdade é que estudar em Lisboa é muito bom, mas a logística de ter de me deslocar até lá e apanhar transportes todos os dias torna-se exaustivo, até porque sinto que perco tempo desnecessariamente. 

Não me posso queixar propriamente, até mesmo porque não vivo assim tão longe de Lisboa como dei a entender. Para que possam perceber a distância, posso dizer-vos que vivo na zona oeste e a partir daí conseguem visualizar o tempo que acabo por perder nestas deslocações. Viver em Lisboa nunca foi uma opção, visto que nem eu nem a minha família colocámos isso como uma hipótese quando entrei na faculdade. Viver em Lisboa, seja em que zona for, torna-se bastante agradável e acaba por facilitar a vida de qualquer estudante. Por isso, acredito que quem tenha oportunidade para o fazer, o deve fazer. 

Viver sozinho ou com colegas de casa acaba por criar alguma independência por parte dos estudantes, na medida em que têm de se organizar de forma a que tenham tempo para estudar, cozinhar, limpar, entre muitas outras coisas. A gestão de tempo tem de ser muito bem feita de forma a dar resposta a tudo isso. Por outro lado, viver com os pais trata-se de um autêntico pau de dois bicos. É algo completamente diferente, até porque grande parte das tarefas podem ser divididas por todo o agregado familiar, o que acaba por ser benéfico para toda a família, visto que acabam por fazer uma boa gestão do tempo de cada um. Ainda assim, a nossa liberdade continua um pouco limitada. Pensa assim: se arranjares casa em Lisboa tens a oportunidade de criar as tuas próprias regras, os teus horários. Não tens horas para chegar a casa, nem para sair de casa, não tens de dar justificações a ninguém, se bem que convém que definas os limites entre aquilo que é ou não aceitável para ti e para a tua rotina.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.