Tempo de leitura: 2 minutos

Sempre tive receio do termo praxe, mas decidi experimentar e o que encontrei foi um espírito de união entre todos. A integração esteve sempre em primeiro lugar.

Ninguém esquece a tragédia do Meco, em 2013, e já todos ouvimos falar de várias histórias de praxes abusivas, geralmente abordadas pelos vários órgãos de comunicação social. Foi isso que, ao longo do tempo, me fez pensar que a praxe seria algo negativo, embora tivesse presente a ideia de que poderia funcionar como uma forma de integração.

Em 2020, devido ao contexto pandémico, sabia que não tinham existido praxes. Honestamente, esperei que, no ano seguinte (aquele que também era o meu ano de admissão à faculdade), não houvesse praxe, uma vez que ainda não estávamos a salvo da COVID-19. Assim, pensava eu, não tinha de ir às praxes, mas também não ficaria com remorsos por ter falhado a oportunidade. 

No entanto, e para minha surpresa, as praxes voltaram em setembro de 2021 e confesso que não podia estar mais feliz por ter vivenciado esta experiência na primeira pessoa. Posso dizer que as praxes da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes não são nada abusivas. Os Doutores tratam os Caloiros de forma cuidadosa, procurando sempre manter o respeito mútuo, independentemente das posições de hierarquia da praxe.

As minhas praxes iniciaram-se na noite de 6 de outubro e terminaram na noite de 10 novembro, com o evento de batismos. Durante as praxes, os Doutores ensinaram-nos os cânticos tradicionais do curso — que, posteriormente, cantávamos nas ruas —, deram-nos a conhecer vários locais da cidade de Abrantes e fizeram diversas atividades connosco, sempre com o intuito de integrar todos os caloiros num curso novo.

Assim sendo, resta-me partilhar que é, sem dúvida, uma experiência da qual não me arrependo e que recomendo a todos os futuros caloiros. Quem não teve a oportunidade de participar este ano, deve experimentar pelo menos uma vez, pois em determinados momentos da praxe, a energia que se sente é muito boa e rodeada do sentimento de união partilhado por todos os elementos que constituem a praxe. Desde os Caloiros aos Doutores, que sempre prezaram pelo nosso bem-estar e se empenharam para que desfrutássemos ao máximo daquele momento tão tradicional da vida académica. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.