Tempo de leitura: 2 minutos

Pode considerar-se bullying atividades que envolvam força física, ameaça ou coerção com o intuito de ameaçar, abusar, intimidar ou dominar de forma agressiva terceiros, de uma forma frequente. 

Existem diferentes tipos de bullying, desde o “típico”, que pode ser executado de forma verbal e/ou física, e que, usualmente, é praticado por crianças e jovens e que, ocorre, principalmente, até ao ensino secundário, momento a partir do qual, este tipo de ato passa a ser executado recorrendo a ameaças ligadas à exposição de informações pessoais nas redes sociais, ou à divulgação de fotografias e vídeos privados, nas mesmas plataformas, fazendo com que o bullying passe a ciberbullying

Em fevereiro de 2022, foi divulgado através da comunicação social, o caso de um jovem que planeava um massacre à  Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa(FCUL), por, alegadamente, ser vítima de bullying

Geralmente, estos atos de intimidação têm como objetivo, coagir as vítimas a fazerem o que o agressor quer, sob ameaça de revelação de algum tipo de informação, por exemplo. Contudo, especialmente no ciberbullying, estas ameaças não são percetíveis por qualquer um e, na maioria dos casos, a vítima não fala com receio das consequências que possam advir dessa atitude, acabando por se isolar e por sofrer em silêncio. É, por isso, fundamental uma atenção especial com aqueles que nos rodeiam, não só com quem faz parte do nosso círculo de amizades mais próximas, mas também com aqueles que, eventualmente, não aparentam estar bem. 

Há que tentar compreender, também, situações de isolamento repentino, já que este pode ser um dos sinais evidentes de que alguém está a ser vítima de agressões constantes — físicas ou psicológicas.

Assim, quando detetada uma possível situação de bullying é importante falar com a pessoa e fazê-la perceber que pode confiar em nós, bem como relatar os acontecimentos a alguém que tenha capacidade para resolver a situação de uma forma mais célere e cessar o sofrimento da vítima antes que alguma consequência mais grave, como as supramencionadas ocorra. 

É importante referir que, ninguém merece sofrer e nenhum tipo de ato deve ter como consequência o bullying, sendo que é fundamental a vítima tentar alertar alguém sobre o sucedido, e os demais devem estar atentos e tentar identificar alguma situação atípica, bem como, prestar auxílio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.