Tempo de leitura: 3 minutos

Quando era mais nova e ouvia os universitários a falarem da faculdade, diziam-se coisas como “não se tem tempo para mais nada”, “é estudar dia e noite”, “aquilo não é como o secundário”. Vivi durante muito tempo a achar que, para conseguir ter sucesso no percurso académico, ia ter de devorar livros dia e noite e, caso houvesse tempo para alguma pausa, aí sim, respirava. Tinha ideia que conciliar os estudos com outras atividades era um completo “bicho de sete cabeças”. O que é certo, é que acabei por desconstruir essa ideia por experiência própria e agora sei que há tempo para tudo.

Depois de ter acabado o 12.º ano em Artes Visuais, candidatei-me então à Universidade. Comunicação Social, Escola Superior de Educação de Coimbra. Fui colocada exatamente onde queria e era agora que ia testar a minha capacidade de “multitasking”, super consciente da responsabilidade desta nova etapa. 

Nova fase, nova cidade, mas um compromisso que ia continuar a tomar alguma parte do meu tempo. Sou bombeira voluntária da zona de onde sou natural (Vila Verde- Braga) e, para cumprir mensalmente com todas as responsabilidades que esta atividade implica, tive que começar a arranjar métodos para gerir o meu tempo de forma organizada.

Assim, comecei desde logo por comprar uma agenda que me permitisse traçar o meu “plano mensal”. A partir daí, o primeiro passo passou por delinear, a cada início de mês, os fins-de-semana a que ia a casa. Desta forma, foi muito mais fácil para mim organizar o meu estudo em prol dos dias em que já sabia que ia estar ocupada – e confesso, é o método mais eficaz que já usei até hoje para gerir o meu tempo.

Com este planeamento, acabo por ir dois fins-de-semana a casa por mês e consigo, assim, cumprir com as minhas funções enquanto voluntária e estar com os meus amigos e família. É certo que acaba por ser pouco tempo, mas quando chega a altura de fazer as malas e voltar à casa dos pais, não há livro nem computador que vão atrás. Opto mesmo por me desligar dos meus compromissos académicos, o que também é uma ótima dica para aprender a separar o tempo de estudo e o tempo de lazer. Assim, acabo por desfrutar de cada momento com mais intensidade e qualidade.

A par disto, ao longo do meu percurso académico fui-me também propondo a outras atividades extracurriculares. No ano letivo anterior, estava a conciliar a licenciatura com os bombeiros, um curso de Jornalismo no Jornal Universitário de Coimbra “A CABRA” e a pertencer à Televisão Académica de Coimbra (Tv/AAC) – e se agora estás a achar que é de loucos, digo-te que é tudo uma questão de disciplina.

Como tinha um dia livre por semana, era nesse tempo que me dedicava às funções do Jornal. Depois, mediante os trabalhos que tinha na Tv/AAC, assumia funções nas semanas mais calmas da Universidade. E foi assim que me geri durante um ano. 

O segredo está, na sua essência, em querer realmente fazer acontecer. Por isso, a minha dica é agendar mensalmente os compromissos de maior relevância (fins-de-semana que vais a casa, datas de frequências e trabalhos, entre outros). Depois, semana a semana, definir as tarefas que tens de cumprir a curto prazo e estabelecer os teus objetivos diários. Acredita que, se cumprires todas as tarefas às quais te comprometes diariamente, conciliar os estudos com outras atividades é totalmente possível. 

E mais: posso dizer que, além de tudo isto, ainda vivo a vida académica, conciliando todos os momentos de estudo e atividades extracurriculares, com saídas à noite, convívios e jantares de curso.

Em suma, não há desculpas para o “estou na Universidade e não tenho tempo”. Só precisamos de ser mais metódicos na nossa organização do tempo e, assim, torna-se tudo possível.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.