Tempo de leitura: 3 minutos

Estudar em tempos de pandemia, como já sabemos, pode, por vezes, parecer uma grande “treta”. Por mais que façamos esforços, todos concordamos que estar 4h em frente a um computador a ouvir o professor não é produtivo. E, como se não bastasse, a este regime de aulas online, ainda se juntou uma outra grande desvantagem: as cadeiras práticas terem sido super condicionadas.

Por causa de tudo isto, comecei a sentir que a minha licenciatura estava a ficar um pouco aquém do esperado: tinha as aulas teóricas, mas faltava-me o lado mais prático para aprofundar os conhecimentos. Estou, atualmente, no terceiro ano de Comunicação Social, na Escola Superior de Educação de Coimbra, e o meu curso rege-se muito por trabalhos práticos, que acabamos por não conseguir realizar da forma mais proveitosa, dados os constrangimentos causados pela pandemia. 

Desta forma, no fim do segundo semestre do segundo ano, comecei a pensar em alternativas que me possibilitassem um contacto mais direto com o mercado de trabalho. Pensei em fazer cursos externos, mas percebi que os moldes de ensino iriam ser os mesmos. Foi então que surgiu a ideia de fazer um estágio extracurricular.

Comecei a procurar várias empresas dentro do meu concelho (Vila Verde) e distrito (Braga), que pudessem ser compatíveis com a minha área, e percebi que podia focar o meu estágio em Jornalismo de Imprensa ou Rádio. Contactei as entidades que tinha identificado e, após ter recebido uma resposta positiva por parte do “Jornal Correio do Minho”, entrei em contacto com a Escola, que me ajudou a creditar o processo e a torná-lo mais formal, para que no final pudesse ficar com um certificado emitido pela Universidade.

Optei por ir para a Imprensa, porque já tinha passado pela experiência de escrever para um jornal universitário online (o Jornal A Cabra), pelo qual me fascinei imenso, e, portanto, tinha curiosidade em perceber a dinâmica de produzir notícias todos os dias, materializando-as em páginas de jornal e fazendo-as chegar às casas da população.

Assim, comecei o estágio no fim de junho e terminei-o no início de agosto. Foi uma experiência de pouco mais de um mês, mas muito enriquecedora. A carga horária semanal foi um acordo feito entre mim, a empresa e a Escola. Fazia cerca de seis horas diárias, tinha um tutor que me acompanhava na execução de tarefas e, no final, fui submetida a uma avaliação que depois se refletiu no certificado que obtive.

Devo dizer que foi, sem dúvida, uma ótima aprendizagem, que me fez obter antecipadamente uma visão real e direta daquilo que é realmente o mundo do trabalho dentro da área de Comunicação Social. Pus em prática alguns conhecimentos que tinha adquirido nas aulas e desenvolvi imensas competências que, em contexto de aulas online, dificilmente iria conseguir adquirir. 

O estágio extracurricular serviu, sobretudo, para me proporcionar mais valências no meu ramo e ter uma perceção muito mais clara de como é que, na realidade, funciona uma redação de imprensa. 

Para além disso, sinto que o facto de nos dispormos a novas experiências neste sentido, faz também com que, em muitas situações, tenhamos de sair da nossa zona de conforto, o que acaba por nos incutir boas ferramentas, quer pessoais, quer profissionais. O facto de fazermos coisas que nunca fizemos dentro do ramo profissional que pretendemos seguir, vai dar-nos uma confiança maior para quando formos realmente lançados para o mercado do trabalho à procura do primeiro emprego.

Nunca é demais querer mais. E quanto mais quisermos para nós e para o nosso futuro profissional e académico, melhor sucedidos seremos. O segredo está naquilo a que nos predispomos a fazer pelos nossos objetivos. E eu propus-me a este estágio com a ambição de alargar horizontes dentro do meu percurso académico.E sim, passei cerca de um mês das minhas férias de verão a “trabalhar” a custo zero, mas não há nada melhor que chegar ao fim e sentir que estás cada vez mais confiante para exercer a tua profissão de sonho. 

Por isso, se andas desanimado/a com as aulas online, se não estás bem certo/a de que vais gostar da parte prática do teu curso ou se queres realmente ter uma visão mais direta sobre o mercado profissional dentro da tua área de estudo, diria que fazer um estágio extracurricular seria uma opção super enriquecedora. Para além disso, beneficia o teu currículo e será, certamente, uma aprendizagem que se vai refletir ao longo do teu percurso enquanto estudante e futuro profissional.

 

Etiquetas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.