Tempo de leitura: < 1 minuto

Alguns estudantes de Coimbra pedem um sistema de ação social que funcione para bem dos estudantes. Em causa, está a ausência do prato social, medida de apoio aos estudantes com mais dificuldades económicas. 

A ausência do prato social, uma iniciativa que nasceu com o intuito de combater as desigualdades nas cantinas da cidade dos estudantes, desapareceu com o início da pandemia e deu origem a uma onda de descontentamento junto dos estudantes da cidade de Coimbra.

Enquanto que, há dez anos, existiam seis cantinas no pólo 1 da Universidade de Coimbra que serviam o prato social; neste momento, apenas duas cantinas têm esta opção. 

Os estudantes de Coimbra pedem, assim, que a normalidade seja reposta e que, principalmente depois de uma fase complicada para todos, se apoie em especial aqueles que têm mais dificuldades económicas para que estes não sejam excluídos. 

Antes do início da pandemia, eram servidas cerca de 11 mil refeições sociais por mês e, certo é que, neste momento, esse número baixou para apenas cinco mil refeições mensais. Os estudantes falam assim de um retorno do prato social pós pandemia apenas a meio gás, quando este deveria ter voltado em dobro.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.