Tempo de leitura: < 1 minuto

Só há 100 psicólogos no total das instituições de ensino superior portuguesas, quando o ideal seria ter um psicólogo por cada 500 alunos, avança a Ordem dos Psicólogos. No entanto, os pedidos de ajuda não param de aumentar.

Algumas instituições de ensino superior não têm serviços de apoio psicológico e isto acontece porque ou não possuem meios financeiros para o fazer ou até desvalorizam a necessidade de prestar este tipo de serviço à comunidade académica. 

A maioria dos pedidos de apoio psicológico surge devido a situações de ansiedade, stress e até burnout. Em maio e junho de 2020, os serviços de apoio psicológico das faculdades portuguesas receberam cerca de 3671 pedidos de ajuda que, segundo a presidente da Rede de Serviços de Apoio Psicológico no Ensino Superior, só não foi um número ainda maior porque muitos estudantes “não queriam ser acompanhados à distância”.

Desta forma, muitos psicólogos exigem que a existência de um sistema de apoio psicológico nas universidades seja um critério a ter em conta na avaliação das instituições. 

Dentro das instituições que disponibilizam apoio psicológico aos alunos, existe uma grande falta de recursos humanos, o que faz com que muitos pedidos de ajuda fiquem sem resposta. O ideal é ter um psicólogo por cada 500 alunos. No entanto, não é isso que se verifica. No Instituto Politécnico de Coimbra, por exemplo, existem três psicólogas para cerca de 11 mil estudantes. 

Segundo a Ordem dos Psicólogos, trabalham cerca de 100 psicólogos no total das instituições de ensino superior portuguesas, o que reflete a falta de oferta de apoio psicológico no ensino superior em Portugal. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.