Tempo de leitura: 3 minutos

Uma modalidade altamente viciante que tem vindo a ganhar cada vez mais audiências e fãs por toda a parte do globo. Trata-se da maior e mais popular modalidade de automobilismo do mundo.

Como já referi, a Fórmula 1 é a maior modalidade de automobilismo de sempre. Esta categoria é regulamentada pela Federação Internacional de Automobilismo, mais conhecida por FIA. A primeira temporada ocorreu em 1950 e tem vindo a tornar-se num autêntico fenómeno desde então. Cada temporada é composta por uma série de corridas, os Grandes Prémios ou Grand Prixs, que podem ocorrer em circuitos construídos para esse fim (race tracks), em circuitos em vias públicas fechadas (street circuits) ou em circuitos híbridos, isto é, com características de race tracks e street circuits.

Num fim de semana normal, as sessões de treino 1 e 2 (FP1 e FP2) decorrem na sexta-feira, a terceira sessão de treinos (FP3) decorre no sábado, juntamente com a Qualificação, que é composta por três sessões, a Q1, a Q2 e a Q3. O “Q” vem de qualifying, de qualificação e é essa qualificação que define a partir de que posições é que os pilotos partem no domingo, no início da corrida.  

A Q1 é a primeira sessão, onde os 20 pilotos têm 18 minutos para fazer o melhor tempo possível, sendo que só os 15 melhores tempos é que passam para a Q2; assim, ficam então definidas as posições de partida do 16º ao 20º. A Q2 dura 15 minutos e são apenas os 10 pilotos com os melhores tempos que passam para a última sessão de qualificação; mais uma vez, estão definidas as posições para a corrida de domingo do 11º ao 15º. Finalmente, na Q3, os 10 melhores pilotos têm 12 minutos para fazer a melhor volta possível. A pole position, que é precisamente o piloto que lidera o grid, é aquele que parte em primeiro lugar na corrida do dia seguinte.

A corrida de domingo, como o próprio nome indica, é uma corrida normal, na qual as equipas podem demonstrar e pôr em prática as suas estratégias e planos definidos para os seus pilotos e equipas, desde o número de pit stops aos compostos a serem utilizados. É fulcral que os dois pilotos de cada equipa deem o seu melhor, uma vez que existem dois campeonatos nesta modalidade, nomeadamente: o Campeonato Mundial de Construtores, que diz respeito às equipas e à soma dos pontos dos dois pilotos que constituem cada uma delas, e ainda o Campeonato Mundial dos Pilotos, que diz respeito aos pilotos como um só.

Neste desporto existem 20 pilotos divididos por 10 equipas, ou seja, existem dois pilotos a representar cada uma das equipas. Assim sendo, são apresentados de seguida os pilotos e as respetivas equipas para a época de 2022:

  • Daniel Ricciardo e Lando Norris, que correm pela McLaren F1 Team
  • George Russell e Lewis Hamilton, que correm pela Mercedes-AMG Petronas Formula One Team
  • Charles Leclerc e Carlos Sainz, que correm pela Scuderia Ferrari
  • Alex Albon e Nicholas Latifi, que correm pela Williams Racing
  • Max Verstappen e Sergio Pérez, que correm pela Oracle Red Bull Racing
  • Sebastian Vettel e Lance Stroll, que correm pela Aston Martin Cognizant F1 Team
  • Mick Schumacher e Kevin Magnussen, que correm pela Hass F1 Team
  • Pierre Gasly e Yuki Tsunoda, que correm pela Scuderia AlphaTauri
  • Fernando Alonso e Esteban Ocon, que correm pela Alpine F1 Team
  • Valtteri Bottas e Guanyu Zhou, que correm pela Alfa Romeo Racing

Atualmente, existem quatro fornecedores de motores, nomeadamente: a Ferrari, a Mercedes, a Renault e a Honda; estes fornecedores encarregam-se de aprovisionar motores para todas as equipas. A Ferrari produz motores para a Ferrari, a Hass e a Alfa Romeo; a Mercedes produz motores para a Mercedes, a McLaren, a Aston Martin e a Williams; a Renault produz motores para a Alpine; finalmente, a Honda produz motores para a Red Bull e a AlphaTauri.

É desde 2011 que a Pirelli é a fornecedora oficial de pneus para esta modalidade. Os três compostos para pista seca são nomeados por “Macio” (vermelho), “Médio” (amarelo) e “Duro” (branco). Existem ainda dois compostos para a pista molhada, nomeadamente os “Intermediários” (verde) e “Pneus de chuva” (azul).

Trata-se de um desporto marcado pelos duelos e rivalidades entre pilotos e existem alguns que merecem especial destaque, nomeadamente: Niki Lauda e James Hunt, Gilles Villeneuve e Didier Pironi, Nelson Piquet e Nigel Mansell, Alan Jones e Carlos Reutemann, Alain Prost e Ayrton Senna, Michael Schumacher e Fernando Alonso, Fernando Alonso e Lewis Hamilton, Lewis Hamilton e Nico Rosberg e Lewis Hamilton e Max Verstappen. 

A época de 2022 tem tido inúmeras surpresas e tenho a certeza que vai dar muito que falar. Temos inúmeros pilotos que vão ser, certamente, o futuro da fórmula 1, mas as raposas velhas ainda têm aquilo que é necessário para dar luta aos mais novos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.