Tempo de leitura: < 1 minuto

O atual presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, quer abandonar o projeto da Feira Popular de Lisboa e investir num novo parque urbano para a capital

 

A Feira Popular está há cerca de sete anos a balançar no limbo. Entre o avanço das obras no terreno que avançavam e voltavam a recuar logo a seguir, o descontentamento dos moradores ou os investidores a desistirem do projeto, a Feira Popular de Lisboa parecia um sonho condenado logo à partida.

Mas a verdade é que a mesma era um desejo do antigo presidente da Câmara, Fernando Medina. Quanto a Carlos Moedas, nunca escondeu a vontade de abandonar o projeto da Feira Popular de Lisboa, plano que até estava previsto no programa eleitoral que apresentou nas autárquicas de 2021.

E assim foi. O presidente eleito anunciou que a Feira Popular não vai avançar e que a ideia agora é priorizar a construção de um novo parque urbano. É o adeus a uma roda gigante, carrosséis e cheiro a pipocas no ar, e o olá a novos equipamentos desportivos e de lazer e a uma nova piscina exterior ambientalmente inovadora.

Para o presidente da Câmara de Lisboa, os parques de diversão no centro das cidades já não fazem o mesmo sentido que antigamente. Ainda assim há parques semelhantes na capital, de menores dimensões, que têm registado grande afluência, como é o caso da Feira de Santos que já por algumas vezes renovou a sua estadia naquele espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.