Tempo de leitura: 2 minutos

Ir para a universidade nunca foi um sonho, mas mudou tudo quando me mudei para Viseu. Senti-me abraçada e fiz amigos para a vida. Foi assim a minha passagem pela cidade a que, agora, chamo casa.

Ser estudante não é um mar de rosas. A ansiedade e o turbilhão de mudar de casa pode, muitas vezes, ser um entrave à vida que nos aguarda. Mas Viseu foi a cidade que me acolheu e foram três anos de vivências, partilha e muitas histórias para contar.

Confesso que ir para a Universidade nunca foi um sonho. Não me encantava a ideia de ter de sair do conforto da minha casa e começar a viver numa cidade diferente da minha. Fazia-me (mesmo) muita confusão. De passar a ser adulta e estar por minha conta. Não ter o meu pai para me ajudar a mudar a botija de gás e da hora de jantar ser quando calhasse. Posso dizer que não sentia o entusiasmo que as minhas colegas sentiam. O processo todo de organizar o “enxoval” só me trazia dores de cabeça. E, durante muito tempo, achei que aquilo não era para mim. 

E eis que tudo muda. Muda, quando me mudo. Muda, quando fui colocada em Viseu, a cidade que tão bem apelidam de “melhor cidade para se viver”. Apaixonei-me por cada canto e recanto, desde a Cava de Viriato à Praça do Rossio, passando pelo Largo da Sé. A Sé é talvez o sítio que mais memórias me traz. Gritei muito pelo curso, ri ainda mais com os meus colegas e companheiros de jornada, e chorei outro tanto com os que me eram mais próximos. É ali que tudo começa e é ali que tudo acaba. Entramos a chorar, porque é uma fase nova e estamos “entregues aos lobos”; e saímos como entramos, porque não queremos deixar aqueles que tão depressa se tornaram importantes.

Fazemos amigos para a vida. Amigos que nos ensinam coisas novas todos os dias e que nos ajudam a moldar-nos. Amigos que ficam e amigos que partem. Amigos com quem mantemos o contacto diário e outros que só não se perdem nas memórias. Vivi três anos muito felizes e tenho a certeza de que se vivesse muitos mais, me tornaria ainda mais feliz. 

Trouxe comigo muito mais do que uma licenciatura. Ficou a certeza de que Viseu vai ser sempre casa, o lugar que me faz sentir acolhida e abraçada. Licenciei-me em Comunicação Social e confesso-vos que os três anos de curso são, provavelmente, os três anos de maior autoconhecimento. Não há melhor forma de testarem quem são.

Vivam. Experimentem. Aproveitem. Façam amizades. Estudem. Esforcem-se. Desenvolvam-se. Conheçam-se. E nunca se esqueçam de que devemos aproveitar muito bem o tempo, pois ele passa muito depressa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.