Tempo de leitura: < 1 minuto

A 1 de julho entrou em vigor a medida que obriga os estabelecimentos que vendem comida para fora a cobrar pelas embalagens de plástico

 

Há duas coisas certas na vida de um universitário: estudar um semestre inteiro na véspera de um exame ou frequência, e ver a Glovo, a Uber Eats ou qualquer restaurante que venda para fora, como um melhor amigo. Mas agora, aos pedidos de takeaway e de entrega ao domicílio, serão adicionados 30 cêntimos ao valor da refeição.

Durante a pandemia, os serviços de entrega de comida aumentaram substancialmente. Consequentemente, o consumo de recipientes de plástico para transportar essa mesma comida também cresceu. E neste seguimento o Parlamento Europeu viu-se obrigado a implementar uma medida que pudesse travar mais uma luta na longa batalha contra o plástico.

A intenção é que, até 2030, todas as embalagens de plástico colocadas no mercado da União Europeia sejam reutilizáveis, compostáveis, biodegradáveis ou facilmente recicláveis.

A Taxa sobre as embalagens de plástico em takeaway é a mais recente medida implementada na restauração e passa essencialmente por reduzir o consumo de plástico de utilização única. Abrange todas as embalagens de plástico descartáveis usadas para servir comida em regime de takeaway ou de entrega ao domicílio.

Os estabelecimentos que fornecem refeições prontas a levar são obrigados a cobrar as embalagens de plástico, mas têm incentivado os clientes a levar a sua própria embalagem como alternativa. 

É que o valor, para além de ser obrigatório, é fixo. Mas para evitar teres de o pagar a regra é simples: basta levares a tua própria caixa hermética de casa quando chegar a hora de ires recolher o teu takeaway.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.