Tempo de leitura: 2 minutos

Estudo que traça um retrato amplo dos jovens portugueses revela que 25% dos que trabalham recebem um salário abaixo de 600 euros. No entanto, a aparência pesa mais na “balança da felicidade” do que o dinheiro ou a realização profissional.

Afinal de contas, o que te faz feliz? A satisfação com o próprio corpo é o fator que mais contribui para a felicidade (ou infelicidade) dos jovens em Portugal, avança estudo, que indica que mais de 50% dos homens e das mulheres portuguesas estão “pouco satisfeitos com o seu aspeto físico”. 

“É preocupante e revela a pressão que os jovens sentem, não exatamente para ter um corpo com saúde, mas para ter corpo semelhante aos que encontram nas redes sociais e que não são reais”, disse ao Jornal de Notícias, Laura Sagnier, coordenadora do estudo “Os jovem em Portugal, hoje”, que contou com 4900 jovens, entre os 15 e os 34 anos, tal como citado no “Jornal de Notícias”.

No entanto, apesar das consequências negativas da era digital, o mesmo estudo indica que as redes sociais são usadas por 97% dos jovens.

“Os contactos dos jovens são quase todos nas redes sociais e os modelos de perfeição imitados por eles são baseados em interfaces” do Facebook, do Instagram e do Youtube, afirmou Laura Sagnier, avança o mesmo jornal.

O aspeto físico pesa mais na “balança da felicidade” do que dinheiro ou realização profissional

“As dificuldades com a entrada no mercado laboral, a situação profissional e os salários baixos preocupam menos os jovens do que o aspeto físico”, revelou a coordenadora de um estudo que, apesar de englobar 4900 entrevistados, representa quase 2,2 milhões de jovens.

A independência económica é o passo indicado pelos inquiridos para a passagem para a idade adulta. No entanto, 25% dos jovens trabalhadores recebem um salário abaixo de 600 euros. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.