Tempo de leitura: 2 minutos

Uma das motivações para esta mudança é a possibilidade de ter mais oportunidades de emprego ou a esperança de ter uma vida cultural mais ativa. Mas não só.

Cerca de 60% dos jovens dos 15 aos 25 anos (que considera pertencer ao interior do País) decidiram mudar-se para o litoral não só pelas oportunidades de emprego como também pelas oportunidades de educação. 

Porque é que consideram pertencer ao interior do País? A resposta é simples: dos participantes neste estudo, 25% identificaram-se como moradores de tal região, no entanto, apenas 17% reside em concelhos que são realmente identificados como concelhos do interior pelo Programa Nacional para a Coesão Territorial, lê-se no jornal “Público”.

Assim, esta “noção de interior” pode não ter que ver com questões geográficas, mas sim com questões emocionais, já que os jovens que vivem em localidades com baixa densidade populacional no litoral, tendem a achar que os seus concelhos pertencem ao interior.

Mas o que os motiva a abandonar o “interior” e partir para o litoral? Os motivos para esta mudança são variados, mas os mais comuns entre os jovens passam por mais oportunidades de educação, emprego e até pela procura de uma vida cultural mais ativa e mais variada. Seguem-se ainda motivos, entre os mais velhos, como por exemplo uma maior proximidade a amigos e familiares. 

Em relação aos participantes deste estudo que vivem no litoral, 10% admite ter vindo do interior e, destes, 73% justifica esta mudança com a procura de oportunidades já mencionada.

Em perspetiva, 53% dos jovens entre os 25 e os 34 anos residentes no interior pensam que a cultura não está pensada para eles, ao contrário dos apenas 37% dos jovens com a mesma idade residentes no litoral.  

O estudo feito pela Qmetrics aborda ainda questões como a relação da população portuguesa com os diversos meios de comunicação social ou com as várias redes sociais disponíveis. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.