Tempo de leitura: < 1 minuto

Diretamente dos livros de banda-desenhada para os ecrãs do streaming, esta é provavelmente uma das adaptações mais pedidas à DC Comics. E 30 anos depois ganha vida.

Chegou à Netflix a 5 de agosto e já é um sucesso nas redes sociais (e na plataforma de streaming). Mas não é uma novidade. Há 30 anos, esta personagem do universo de super-heróis da DC Comics já tinha conquistado o público quando ainda estava presa nas páginas dos livros de banda-desenhada.

Esta série é baseada no complexo universo dos livros com o mesmo título, lançados pela primeira vez em 1989. Durante sete anos, esta coleção foi publicada e atingiu números e vendas iguais ou superiores aos de histórias como “O Super-Homem” ou “Batman”, já bem conhecidos do público.

Durante 30 anos, os fãs pediram à DC Comics que a adaptação desta história fosse feita e, apesar de autor ter recebido inúmeras propostas, só em 2022 o desejo foi concretizado.

Numa altura em que o HIV dizimava grande parte da população LGBTQIA+, o autor não deixou de parte as personagens homossexuais – e levou-as para a ribalta. Nestas narrativas, os leitores contaram ainda com intervenientes inesperados, desde Shakespeare a Thor ou Orfeu.

Morpheus, o rei dos sonhos, que foi mantido em cativeiro durante 106 anos, chega agora à Netflix e conta a sua história em 10 episódios. Ou pelo menos parte dela, até porque, cá entre nós, parece-nos altamente provável que venha aí uma segunda temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.