Tempo de leitura: 3 minutos

Seja porque está presente no plano de estudos da tua licenciatura ou porque queres complementar a tua formação, é importante saber o que podes (ou não) esperar de um estágio curricular. Afinal de contas, vale a pena?

Um estágio curricular é uma boa oportunidade de estabeleceres contacto com o mercado de trabalho, enquanto ainda estás no ensino superior — sendo que pode (ou não) fazer parte do plano de estudos do teu curso.

Seja por iniciativa própria (sim, também o podes fazer) ou para cumprires os requisitos de certas cadeiras, integrar um estágio curricular é sinónimo de passar da teoria à prática. Por isso, na maioria das vezes, podes escolher onde é que queres fazer o teu estágio. Podes optar por realizar o estágio numa empresa da tua área, mas algumas instituições do setor público também podem ser uma opção.

Ter contacto com o mercado de trabalho mesmo antes de terminares a tua licenciatura é, sem dúvida, um dos maiores benefícios dos estágios curriculares, já que passas a ter uma visão mais nítida do que é exercer a profissão para a qual tens estado a estudar. 

Muito provavelmente vais também acabar por desenvolver um certo tipo de competências que não serias capaz de desenvolver apenas através das disciplinas teóricas ou até práticas já que a pressão e o ritmo do estúdio ou laboratório da tua faculdade em nada se comparam à dinâmica do mercado de trabalho.

Seja a capacidade de organização, de comunicação, de trabalho em equipa ou até técnicas de desenrasque, uma experiência deste tipo só te irá acrescentar valor. E, claro, mais experiências e conteúdos para o teu currículo e portfólio. 

Alimenta a tua rede de contactos

Conhecer outras realidades é também sinónimo de conhecer pessoas novas e fazer novos contactos. Lembra-te de que, seja em que área profissional for, vales pelo contactos que tens. Por isso, aproveita o teu estágio curricular para estabelecer contactos dentro e fora da empresa. 

Sim, (geralmente) podes escolher o local do teu estágio

Na maioria dos casos, as instituições de ensino superior possuem uma lista de empresas/instituições com as quais têm protocolos de estágio e que, por isso, acabam por funcionar como instituições parceiras. Estas empresas estão relacionadas com a área de estudo das licenciaturas que a faculdade oferece e a ideia é que a oferta seja variada para que se possa adaptar às várias vertentes dos cursos em questão. 

No entanto, caso a tua empresa de eleição não esteja na lista da tua faculdade, podes sempre sugerir que esse mesmo protocolo seja criado, expondo o teu interesse em estagiar em determinado local.

Não existe uma duração estipulada para todos os estágios curriculares: cada curso estipula a duração do estágio, em prol do plano de estudos. No entanto, o mais comum é que estes durem entre os três e os seis meses. 

Os estágios curriculares não têm remuneração, isto porque estão inseridos dentro do plano curricular do curso. No entanto, em alguns casos, a entidade que te acolhe pode assegurar algumas despesas, sejam elas de deslocação ou de alimentação. 

Sendo que se trata de uma atividade presente no plano curricular do curso, um estágio curricular tende a implicar a elaboração de um relatório de estágio. O relatório funciona como um sítio de reflexão onde podes avaliar os pontos positivos  (ou negativos) da tua experiência, bem como refletir acerca daquilo que deves melhorar. 

No que à elaboração do relatório diz respeito, o segredo está em não deixares tudo para última da hora. Lembra-te de que o relatório de estágio deve ser construído ao longo da experiência e nunca apenas quando esta termina.  

Neste sentido, durante o período em que estás a estagiar, deves apontar questões e pontos chave para abordar no teu relatório. Assim, garantes que não te esqueces de pormenores importantes.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.