Tempo de leitura: 2 minutos

Há quem diga que é por moda ou pelas fotografias para o Instagram, mas a verdade é que trabalhar num espaço público, neste caso, num café, pode revelar-se mais produtivo do que fazê-lo na tua própria casa. Descobre porquê.

Não, o ruído não é um problema, antes pelo contrário. A existência de tomadas é sempre tida em conta e a possibilidade de recorrer à cafeína também vem ajudar à festa. A verdade é que os cafés (enquanto espaços públicos) podem contribuir para horas de estudo ou trabalho mais produtivas, dizem os especialistas.

Seja uma consequência direta da pandemia ou da evolução digital, a verdade é que, atualmente, a possibilidade de trabalhar através de um computador, a partir de qualquer lugar, é cada vez mais comum.

A análise de vários espaços nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Noruega e na Austrália revela que há cada vez mais cafés que têm trabalhadores remotos ou estudantes como público alvo. 

A premissa é clara: o aspecto social de trabalhar num café revela-se crucial para quem por lá decide trabalhar, já que a maioria dos inquiridos neste estudo, citado pela revista “Forbes”, revelam que o facto de estarem perto de outros clientes na mesma posição (a trabalhar fora de casa) faz com que se sintam parte de algo maior e o barulho de fundo reforça os seus níveis de criatividade. 

E não o fazem em vão. Segundo um estudo, citado na mesma publicação, especialistas descobriram que o ruído de fundo típico de um café (de baixo nível, no caso) pode ser benéfico, especialmente no que diz respeito ao nosso pensamento criativo. 

Em Lisboa, o Starbucks tende a ser um dos cafés mais requisitados por quem planeia passar a tarde a estudar ou trabalhar, com um espaço em plena estação do Rossio e outro nos armazéns do Chiado. Já que para além de tomadas e entradas USB à disposição e internet gratuita,  conta ainda com uma vasta panóplia de bebidas com (e sem) cafeína.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.