Tempo de leitura: < 1 minuto

O objetivo principal é fazer estimativas das condições externas que afetam a condução, como as condições meteorológicas, e alcançar uma visão exata do exterior do veículo.

A Universidade do Porto e a Bosch celebraram uma parceria científica, na Reitoria da Universidade do Porto, referente a um projeto de mobilidade inteligente. O projeto THEIA procura dar respostas às exigências da condução autónoma e da mobilidade do futuro.

A equipa de investigadores da Faculdade de Ciências e Faculdade de Engenharia do Porto, liderada por Rolando Martins (FCUP) e Jaime Cardoso (FEUP) fará uma investigação com o objetivo de aperfeiçoar as capacidades sensoriais dos veículos, investigando e desenvolvendo soluções com base nos dados recolhidos pelos sensores dos veículos, em especial os sensores LIDAR. 

O objetivo principal é recolher dados que permitam fazer estimativas das condições externas que afetam a condução, como as condições meteorológicas. E, assim, construir uma visão exata e segura do exterior que rodeia o veículo.

Assim, prevê-se que haja um desenvolvimento que consiga garantir as condições de segurança necessárias para utilizar veículos autónomos – isto porque, graças ao desenvolvimento dos sensores, os veículos autónomos serão capazes de resolver o problema identificado por eles. 

O investimento supera os 28 milhões de euros e será assinado entre a Universidade do Porto, a Bosch Portugal e ainda a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal. O projeto THEIA é ainda cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (COMPETE 2020) e do Portugal 2020, é mais um projeto desenvolvido entre a Universidade do Porto e a Bosch. 

Este projeto conta com a participação de mais de 70 investigadores da Universidade do Porto, que trabalharão em conjunto com cerca de 55 colaboradores da empresa Bosch. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.